Antigo blogue do projeto novasoportunidades@biblioteca.esjs

Antigo blogue do projeto novasoportunidades@biblioteca.esjs, patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian
Escola Secundária José Saramago - Mafra

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

DA CONCISÃO XCII


Imagem daqui.




"Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram,
E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,"


Fernando Pessoa, excerto do poema XLVI de "O Guardador de Rebanhos", in Poemas de Alberto Caeiro, (nota explicativa e notas de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor, Lisboa, Ática, 1993, p. 68.




quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

NARRATIVA E MEDICINA


A imagem e outras informações encontram-se aqui.



DA CONCISÃO XCI


Imagem daqui.



"Fernando Pessoa admitia várias personalidades durante um só dia, como numa peça teatral constante e sem limites."

Patrícia Fernandes, Aluna do 12º CT4 desta Escola.



quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

DA CONCISÃO XC


Imagem daqui.



"L'énergie, cette faculté de se précipiter dans l'inconnu."

Sylvain Tesson, Éloge de l'énergie vagabonde, Paris, Éditions des Équateurs, 2007, p. 228.




MIÚDOS, A VIDA ÀS MÃOS CHEIAS


A imagem e todas as informações encontram-se aqui.



segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PALAVRA DO ANO 2017

A imagem e o acesso ao sítio da votação encontram-se aqui.


Até ao dia 31 de dezembro de 2017 poderá votar na palavra do ano. 



quinta-feira, 30 de novembro de 2017

IN'NATALIS

DO OUTRO LADO DO ESPELHO


Noé Sendas (Bruxelas, 1972).
A imagem e todas as informações encontram-se aqui.



Exposição para ver na Fundação Calouste Gulbenkian até 8 de fevereiro de 2018.



MUSICAE: A HISTÓRICA VIAGEM DE CAE


A imagem e todas as informações encontram-se aqui.




terça-feira, 28 de novembro de 2017

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

"O MELHOR JORNAL PARA RAPAZES" - 70 ANOS DO "CAMARADA"


Número inaugural da Revista Camarada, 1 de dezembro de 1947.



De 28 de novembro a 30 de dezembro de 2017, na Sala de Referência da Biblioteca Nacional de Portugal.



sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Palavras - NAVALHA DE OCKHAM







A Navalha de Occam ou Navalha de Ockham é um princípio lógico atribuído ao lógico e frade franciscano inglês Guilherme de Ockham.

O princípio afirma que a explicação para qualquer fenómeno deve assumir apenas as premissas estritamente necessárias à sua explicação e eliminar todas as que não causariam qualquer diferença aparente nas predições da hipótese ou teoria. 

O princípio é frequentemente designado pela expressão latina Lex Parsimoniae (Lei da Parcimónia) enunciada como: entia non sunt multiplicanda praeter necessitatem (as entidades não devem ser multiplicadas além da necessidade).

O princípio recomenda, assim, que se escolha a teoria explicativa que implique o menor número de premissas assumidas e o menor número de entidades.

Wikipédia (adapt.), daqui.



quinta-feira, 23 de novembro de 2017

CRÓNICA DO CRUZADO OSB.






«Era um homem de pequeno carácter e pequenas letras, mas que lhe davam para ensinar qualquer coisa como geografia e história num internato de província; desses que estão eternamente deficitários e que parecem conventos escalavrados, com dormitórios como celeiros e arrecadações tenebrosas onde se empichavam os baús dos estudantes com reservas de mantimentos, marmelada e paios ou bolacha torrada.

O professor Jeremias envelhecera e despertara paixões nas irmãs dos seus alunos, que os visitavam levando-lhes encomendas de casa. Já um pouco obeso e acobardado pelo que ele dizia ser a modéstia horaciana - uma preguiça doce e que convidava a confidências -, ainda era belo, triste como um mártir e de olhos cheios de entendimento poético. Na realidade, nunca fizera versos e mantinha, diante das suas ninfas enamoradas, uma atitude mais do que platónica, verdadeiramente digna de Abélard em desgraça. Quando se começaram a mover montanhas lá para os sítios do nordeste e se descobriu que havia muito que fazer, escolas, geradores eléctricos e campos de beterraba, Manuel  Jeremias foi designado para dirigir uma espécie de academia agrícola nos arredores da cidade. Era ele e outros. Todos possuíam de reserva um lote de ideias caseiras e gesticulantes. Mas o dinheiro era pouco e deu para comprar dois pares de coelhos gigante-espanhol e uma novilha que tivera o seu surgimento num presépio de freiras e que se lhes tornara tão dispendiosa como um refém do Grande Turco. A quinta-modelo tinha uns caminhos bordados de oliveiras que davam gosto. O professor Jeremias achava que tanto caloiros como finalistas, enquanto viajavam por ela, aprendiam da natureza lições magistrais. (...)

Tinha por hábito confessar coisas um pouco insólitas - o que o fazia parecer inteligente. Escrevera um livro de mineralogia, atribuía ao subsolo da região riquezas prodigiosas - oiro, cobre, urânio. Sem que compreendessem nada, isto alimentava a fantasia das pessoas, que se traduzia em gratidão. "Um dia vamos ficar todos ricos", pensavam. Atribuíam ao professor ser inclinado a manias, mas no fundo não o censuravam; preferiam acreditar que era um sábio, um salvador sem sorte da pobre condição humana.»

Agustina Bessa-Luís, Crónica do Cruzado Osb.,Lisboa, Babel, 2015, pp. 9-10.



quarta-feira, 22 de novembro de 2017

REVISTA LITERALIVRE - Chamada de Trabalhos






A Revista LiteraLivre é uma publicação brasileira de periodicidade bimestral, gratuita, com distribuição eletrónica em PDF. Pretende esta publicação dar espaço a todos os escritores, amadores ou profissionais, que desejem divulgar os seus escritos e mostrar o seu talento de forma independente e livre.

Poderá participar na 7ª edição até ao dia 15 de dezembro de 2017. Aceda à Revista aqui.




DA CONCISÃO LXXXIX


Jovem Marco Aurélio, Museus Capitolinos,



"54 - O que não é útil à colmeia também o não é à abelha."

Marco Aurélio, Pensamentos, Livro VI, Lisboa, Relógio d'Água Editores, 1995, p. 80.



terça-feira, 21 de novembro de 2017

CANADÁ: 150 ANOS

Logotipo "Canadá, 150 anos".
A imagem e todas as informações encontram-se aqui.




Palestras | 27 de novembro de 2017 | 18h00 | Biblioteca Nacional de Portugal




segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Palavras - ERSATZ






Ersatz é uma palavra alemã cujo significado literal é substituto. No Reino Unido, o termo foi popularizado como adjetivo em função das experiências de milhares de oficiais e soldados americanos, britânicos e de outros países anglófonos, geralmente aviadores presos durante a Segunda Guerra Mundial. Esses prisioneiros de guerra aliados receberam Ersatzkaffee (café substituto) dos seus captores alemães. Essa bebida substituta não era popular entre os prisioneiros, que desejavam a bebida verdadeira.

Wikipédia (adapt.), daqui.



quarta-feira, 15 de novembro de 2017

AS ILHAS DO OURO BRANCO


As Ilhas do Ouro Branco - Encomenda artística na Madeira, Séculos XV-XVI.



A exposição estará patente no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, de 16 de novembro de 2017 a 18 de março de 2018.



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

PAÍSES E CIDADES QUE JÁ VISITEI OU QUE GOSTARIA DE VISITAR


Vancouver, Canadá. Daqui.


Poderia fazer uma lista de vários países que gostaria de visitar, mas a verdade é que não me importaria de percorrer todas as cidades do mundo, deliciar-me com todas as culturas que existem e explorar o planeta. Contudo, se tivesse de escolher um país e uma cidade para viver, a escolha seria o Canadá, mais exatamente Vancouver, não só por ser uma lindíssima cidade mas também por nela se poderem encontrar muitos espaços verdes e paisagens montanhosas e rochosas. Outro fator importante decisivo na minha escolha tem a ver com a situação política e económica do Canadá, o que o torna um país aliciante para nele se viver.

Hugo Costa, Aluno do 12º SE1 desta Escola.



sexta-feira, 10 de novembro de 2017

SER PORTUGUÊS


Fotografia de Nuno Ferreira Santos.



«Ser português é o quê?
É sermos pequenos, feios, malcheirosos, com mau gosto, e quando estamos no estrangeiro e apanhamos um avião para Portugal... a gente conhece logo as pessoas, é tão bom! E termos esta língua que é maravilhosa. Por exemplo, nas mãos do Bocage, do Camões, até do Filinto Elísio, onde o Camilo foi aprender e a Agustina é neta, porque aprendeu com o Camilo. Não sou admirador do Camilo. Não gosto daquela pieguice toda, mas gosto da dedicatória do Eusébio Macário. "Perguntaste-me se um velho escritor de antigas novelas poderia escrever, segundo os processos novos, um romance com todos os 'tiques' do estilo realista. Respondi temerariamente que sim, e tu apostaste que não. Venho depositar no teu regaço o romance, e na tua mão o beijo da aposta que perdi." É bonito ou não é? Fica-se tão contente! Eu fico. E a prosa do Antero! E era inteligente, e bonito. Tinha tudo.»

António Lobo Antunes, entrevista a propósito do seu novo romance Até Que as Pedras Se Tornem Mais Leves Que a Água, ípsilon, Público, 10/ 11/ 2017




quinta-feira, 9 de novembro de 2017

FELIZMENTE HÁ LUAR... NOS 200 ANOS DA EXECUÇÃO DE GOMES FREIRE DE ANDRADE

POESIA DE LUÍSA CORDEIRO (23)



“Caminho…”

Caminho,
com caminho se paga,
 a escolha é tua,
não podes voltar
atrás.

Um caminho,
vai dar a outro caminho,
 mesmo que
desistas,
que erres,
persistas,
que procures
pistas,
o caminho
vai contigo
onde quer
que tu vás.


Luísa Cordeiro (assistente administrativa na ESJS)



segunda-feira, 6 de novembro de 2017

DA CONCISÃO LXXXVIII





"(...) uma boa parte do que se passa no mundo da grande arte é uma espécie de prefácio para o estudo científico dos seres humanos."

António Damásio, entrevista, P2, Público, 05/11/2017.



sexta-feira, 3 de novembro de 2017

"PORTUGAL FUTURISTA" E O FUTURISMO

Elementos da revista Portugal Futurista: montagem contemporânea da autoria de Ricardo Marques.
Aceda à imagem e ao programa aqui.



Jornada | 7 de novembro de 2017 | 10h00 | Auditório da Biblioteca Nacional de Portugal



MEDICINA E NARRATIVA: ESCREVER NA PRIMEIRA PESSOA EM CONTEXTOS DE SAÚDE


A imagem e outras informações encontram-se aqui.



quinta-feira, 2 de novembro de 2017

POESIA DE LUÍSA CORDEIRO (22)



“O meu pobre coração”  

O meu pobre coração
deixou-se descomandar
enquanto cantava o Fado
porque te viu a passar…

Queria esquecer o passado,
o mal que a vida lhe fez,
pois lembrar-se dessa vida
era vivê-la outra vez.

Agora,
 os versos que ele canta
são para de ti se esquecer,
mas fica preso à garganta
o tanto pr’a te dizer.
  
 
Luísa Cordeiro (assistente administrativa na ESJS) 



A PROPÓSITO DE FERNANDO PESSOA...





Lonely life?
No one by your side.
Don't turn off the light.
Grab a book and everything's alright.

Wasin Traimid, Aluno do 12º CT3 desta Escola.



terça-feira, 31 de outubro de 2017

MARCENDA


Adamastor, Alto de Santa Catarina, Lisboa.
Imagem daqui.




XVIII

Saudoso já deste verão que vejo,
Lágrimas para as flores dele emprego
        Na lembrança invertida
        De quando hei-de perdê-las.
Transpostos os portais irreparáveis
De cada ano, me antecipo a sombra
        Em que hei-de errar, sem flores,
        No abismo rumoroso.
E colho a rosa porque a sorte manda.
Marcenda, guardo-a; murche-se comigo
        Antes que com a curva
        Diurna da ampla terra.


Ricardo Reis, Poesia, edição de Manuela Parreira da Silva, Lisboa, Assírio & Alvim, 2007, p. 35.



sexta-feira, 27 de outubro de 2017

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

DA CONCISÃO LXXXVII


Roda das emoções de Plutchik.




"Dizem que não há emoção sem que o corpo se manifeste."

Frederico Cavaglià

Irene Carvalho, Refúgio das Horas Incertas, Prefácio, Lisboa, Edição Vírgula, 2010, p. 10.