Antigo blogue do projeto novasoportunidades@biblioteca.esjs

Antigo blogue do projeto novasoportunidades@biblioteca.esjs, patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian
Escola Secundária José Saramago - Mafra

quinta-feira, 31 de março de 2011

FEIRA DO LIVRO DE LISBOA





A APEL (Associação Portuguesa de Editores e Livreiros) anuncia a 81ª edição da Feira do Livro de Lisboa, entre os dias 28 de Abril e 15 de Maio de 2011, no Parque Eduardo VII.

quarta-feira, 30 de março de 2011

MONTRA DE LIVROS (8)

Títulos recentemente adquiridos
Leia na Biblioteca ou requisite para ler em qualquer lugar.

segunda-feira, 28 de março de 2011

CORDÃO HUMANO DE LEITURA


Traga um livro, convide um amigo e faça parte da história - é este o convite da Rede de Bibliotecas Municipais de Lisboa.

2 de Abril - 15h - Largo do Chiado

sexta-feira, 25 de março de 2011

SEMANA DA LEITURA









Os alunos da turma H_ do 10.º ano voltaram à Biblioteca. Desta vez leram textos subordinados à temática da Natureza, elaborados na aula de Português, sob a orientação da professora Isabel Santos, e decidiram expor na Árvore da Poesia para que possam ser lidos pelos utilizadores da BE.

RIO: BIENAL DO LIVRO 2011

A Bienal do Livro 2011 realiza-se de 1 a 11 de Setembro de 2011 - sempre será um bom pretexto para dar um pulinho até ao Rio de Janeiro. Daqui até lá, haverá tempo para preparar a ida. Boa viagem, boas leituras.

quinta-feira, 24 de março de 2011

SEMANA DA LEITURA



Ontem, na Biblioteca, as turmas H_ e S1 do 10.º ano, acompanhadas pelas professoras Isabel Santos e Maria José Garção, e os Formandos EFA da turma S2, acompanhados pela formadora Inês Jerónimo, leram poemas alusivos à Primavera. Após a leitura, todos os participantes deixaram os seus textos na Árvore da Poesia.

OFERTA DE LIVROS DE POESIA À BIBLIOTECA







A Turma Oficina da Palavra da USEMA ofereceu à Biblioteca livros da poetisa Licínia Quitério.
Os livros encontram-se expostos na estante das Novidades. 




SEMANA DA LEITURA - OFICINA DE POESIA

video

Na Biblioteca assistimos à declamação de poemas pela Turma Oficina da Palavra da USEMA (Universidade Sénior de Mafra), pela poetisa Licínia Quitério e pelos professores Adriano Alcântara e Ismael Gonçalves, com a participação musical das alunas Inês Pereira e Inês Santos.
Os participantes foram recebidos pela Directora da Escola, professora Margarida Branco.

segunda-feira, 21 de março de 2011

SEMANA DA LEITURA 2011

Fotografia: Arquivo da Biblioteca ESJS (2007)
 
De 21 a 25 de Março, a Biblioteca dinamiza sessões de leitura.

Participe!

MONTRA DE LIVROS (7)


Sugestões de leitura para o Dia Mundial da Poesia. Procure na Biblioteca!

A PRIMAVERA NA POESIA


Para assinalar o Dia Mundial da Poesia, da Árvore e das Florestas, a  Biblioteca convida os utilizadores a colocarem poemas subordinados à temática da Natureza na Árvore da Poesia.

POESIA DE ADRIANO ALCÂNTARA (II)

HÚMUS

O vento e o mar à terra não dão um momento.
Sal de raiva espuma, fermento e fado tudo afogam,
zunindo.
E eu aqui, viajante sem viagem,
assim vou indo,
assim ficando me alento e sufoco
e em vão me enraízo ao de leve
no firmamento do teu húmus.
Ardente lava ou anseio, penas e pó,
meus versos nada são na raiz de teus olhos,
mil matizes mil na menina da infância, meu único clima ameno
amargo chão
onde mal me pertenço, sereno leito onde me deito
sonhando.

 Adriano Alcântara 
(Professor de Português/Francês na ESJS)

21 de Março de 2011

POESIA DE ADRIANO ALCÂNTARA (I)

COISAS

As coisas acontecem
e não perdoam o chá
das meias palavras,
sejam raio ou diamante
de luz ou sangue,
exangue resultado
do quanto nos seduz
o copo aqui ao lado.
São coisas, aparecem.
A elas nos fazemos então,
sem rumo certo
ou com seguro norte
a brilhar algures
nas coxas da sorte.
São sereias, as coisas.
Vão e e vêm, acontecem
a quem navega ao balcão
ou não.
Como sucede a descoberta
de todas as coisas a ser
na ilha deserta
de um mundo a acontecer.

Adriano Alcântara 
(Professor de Português/Francês na ESJS)

21 de Março de 2011

POESIA DE MARIA LUCINDA SANTOS (III)

As Andorinhas 

Vestidas de negro como vindimas
Lá partem juntas em revoadas
Formam-se em bandos no espaço
Fazem curvas no céu sem embaraço
Graciosamente enleadas.

Fogem do inverno que se aproxima
Vão para o exílio cheias de saudade
Poemas de amor vão murmurando
No seu comunicar chilreando
Esvoaçando em plena liberdade.

Mas quando os raios de sol
Acalentam os campos engalanados
Pela Primavera já chegada
Voltam alegres numa virada
Cantando estrofes, de amores encantadas.

Doidas de alegria junto aos beirais
Reconhecem os ninhos deixados
E uma azáfama vão compôr
O que foi feito com tanto amor
E que p'lo tempo foram estragados.

Depois ... um grande idílio
No alto do seu mirante
Olhando o azul do firmamento
Vão sonhando a todo o momento
Com os frutos do seu amor galante.

E quando os filhos nascem
E pipilam com seus tenros biquitos
Baixam à terra e num vai-vem
Labutando como ninguém
Trazendo o comer aos seus pequinitos.

21 de Março de 2011
        

POESIA DE MARIA LUCINDA SANTOS (II)

Rosas

I
Fui ao jardim ... p´ra ver as flores
Vi todas ... uma a uma
E de tantas ... e tão diversas
Admirei-as sem pressa
Mas como as rosas... nenhuma ...

II
Há nelas tanta beleza
Tantos detalhes a descrever
Será que serei capaz
De neste papel o fazer?

III
Nos jardins ... são importantes
Nos altares ... são singelas
No regaço das noivas ... delicadas
Nos lares ... são perfumadas
Em todos os lugares... são belas.

IV
Mas cedo, perdem os atrativos
Que tanto as enaltecem
Também há o seu senão
É pouca a sua duração
E seus espinhos, prevalecem.

V
As rosas ... depois de secas
Ainda podem perdurar
Com alguma imaginação
Cria-se arte para decoração
Que embeleza qualquer lar.

VI
De todas ... são as Rainhas
Eleitas do meu coração
Tanta harmonia e grandeza
Fruto da "Mãe Natureza"
Obras lindas da "Criação".

21 de Março de 2011

POESIA DE MARIA LUCINDA SANTOS (I)

Malmequer

I 
Apanhei um malmequer
Com ideia de o desfolhar
Mas a flor era tão mimosa
Que fiquei receosa
Se a iria magoar

II
Mas enchi-me de coragem
Queria salvar a sina minha
E o mal-me-quer foi desfolhado
Pétala a pétala arrancando
Para ver a sorte que tinha

III
Mal-me-quer - Bem me quer
Muito pouco ou nada
Foi o último que me calhou
Foi a flor que me tentou
E, fiquei desanimada.

IV
Agora ... irei resistir
Quando passar p'lo jardim
Não apanharei mais a flor
Para não sentir mais a dor
Já que o final foi ruim.

21 de Março de 2011


EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA (6)

Exposição sobre o Dia Mundial da Poesia, organizada pela professora Maria Luísa Barros.

DIA MUNDIAL DA POESIA

"Amor constante más allá de la muerte"

Cerrar podrá mis ojos la postrera,
Sombra que me llevare el blanco día,
Y podrá desatar esta alma mía
Hora a su afán ansioso lisonjera;

Mas no, de esotra parte, en la ribera,
Dejará la memoria, en donde ardía:
Nadar sabe mi llama el agua fría,
Y perder el respeto a ley severa.

Alma a quien todo un dios prisión ha sido,
Venas que humor a tanto fuego han dado,
Medulas que han gloriosamente ardido:

Su cuerpo dejará no su cuidado;
Serán ceniza, mas tendrá sentido;
Polvo serán, mas polvo enamorado.


Francisco de Quevedo (1580-1645)

quinta-feira, 17 de março de 2011

PALESTRA SOBRE A EVOLUÇÃO DO ASSOCIATIVISMO AGRÁRIO NO CONCELHO DE MAFRA



No âmbito da Área Disciplinar de História, o professor e investigador João Azeiteiro apresentou, na Biblioteca Escolar, uma palestra sobre "A Evolução do Associativismo Agrário no Concelho de Mafra" dirigida aos alunos do 12.º ano.





A Evolução do Associativismo Agrário no Concelho de Mafra - da 2.ª metade do século XIX à década de 1960:
  • No contexto da emergência do Associativismo em Portugal na época da Monarquia Constitucional  - as primeiras tentativas de 1866 e a criação de Comissões na década de 1880;
  • Sob a Primeira República: a criação do Sindicato Agrícola da Enxara do Bispo (1921);
  • A criação nos primórdios do Estado Novo das Delegações Concelhias de Organismos Sectoriais: Delegação local da F.N.P.T./ Federação Nacional de Produtores de Trigo (1933); Delegação local da F.V.C.S Portugal / Federação de Vinicultores do Centro e Sul (1934); a criação do Sindicato Agrícola do Concelho de Mafra (1934); a criação em 1938, da Delegação Concelhia do Grémio dos Produtores de Fruta da Região de Vila Franca de Xira;
  • No contexto da Organização Corporativa da Lavoura, sob o Estado Novo: a criação em 1939 do Grémio da Lavoura do Concelho de Mafra; integração das três Delegações Concelhias acima citadas neste Grémio;
  • A criação da Cooperativa Agrícola dos Produtores de Leite do Concelho de Mafra (1948);
  • A criação da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo (1957) e da Cooperativa de Consumo anexas ao Grémio da Lavoura (1960);
  • A criação da Adega Cooperativa da Azueira (1959 - ... 1969).

Texto e documentos disponibilizados pelo professor e investigador João Azeiteiro.

CASA-MUSEU DE JOSÉ SARAMAGO



Amanhã, 18 de Março de 2011, dia em que se assinalam nove meses sobre a data da partida do escritor, é inaugurada a Casa-Museu de José Saramago, em Lanzarote.

quarta-feira, 16 de março de 2011

"SOBRE LA CEGUERA Y LA LUCIDEZ"


"Sobre a Cegueira e a Lucidez" é o tema da edição de 2011 da Feira do Livro de Sevilha, dedicada ao "filho dilecto da Andaluzia", José Saramago. A feira decorrerá entre os dias 19 e 30 de Maio.

sexta-feira, 11 de março de 2011

MONTRA DE LIVROS (6)



Títulos adquiridos com o apoio integral do Plano Nacional de Leitura
Os livros adquiridos constam da lista de títulos recomendados pelo Plano Nacional de Leitura para as Novas Oportunidades, constituindo um recurso importante na promoção de dinâmicas de leitura junto dos Adultos em formação/certificação de competências.

Os livros encontram-se disponíveis na Biblioteca.

quinta-feira, 10 de março de 2011

NA BIBLIOTECA : PALESTRA SOBRE O CANCRO DA MAMA

A Biblioteca agradece às alunas Maria João Cardoso, Raquel Antunes, Tamára Santos e Vânia Lopes todo o empenho e envolvimento na preparação da palestra dirigida aos Candidatos Desempregados.
Lamentamos que a mesma não tenha sido realizada por não comparência do público-alvo.
Às alunas fica a promessa de que o trabalho desenvolvido não foi em vão. Brevemente será apresentado/divulgado na Biblioteca.

Os obstáculos tornam-nos mais fortes e motivam-nos a fazer mais e melhor.

OFICINA DE ESCRITA

Os formandos da turma B3B estiveram de novo na Biblioteca, onde consultaram dicionários gerais, de verbos e de sinónimos para reescrever mais um texto. Desta vez, tratou-se da carta de resposta à letra "Postal dos correios" escrita por João Monge, para o Projecto Rio Grande:

Querida mãe, querido pai. Então que tal?
Nós andamos do jeito que Deus quer
Entre dias que passam menos mal
Lá vem um que nos dá mais que fazer
Mas falemos de coisas bem melhores:
A Laurinda faz vestidos por medida
O rapaz estuda nos computadores
Dizem que é um emprego com saída
Cá chegou direitinha a encomenda
Pelo "expresso" que parou na Piedade
Pão de trigo e linguiça p’rá merenda
Sempre dá para enganar a saudade
Espero que não demorem a mandar
Novidades na volta do correio
A ribeira corre bem ou vai secar?
Como estão as oliveiras de "candeio"?
Já não tenho mais assunto pra escrever
Cumprimentos ao nosso pessoal
Um abraço deste que tanto vos quer
Sou capaz de ir aí pelo Natal
Título e texto introdutório de Ester Campos, formadora de LC


Aldeia Branquinha, 4 de Fevereiro de 2011
Querido filho,
Recebemos com muito agrado a tua carta. Eu vou bem, apenas com uma constipação, e o teu pai, tirando os habituais bicos de papagaio, também vende saúde. Por cá já começa a fazer bastante frio, e sabe tão bem estar junto da lareira.
Os terrenos têm estado secos e a ribeira corre com pouca água, mas logo vai voltar ao normal com as chuvas que estão perto de chegar.
As oliveiras parecem um jardim, acho que este ano vai dar muita e boa azeitona.
Ficámos muito contentes pela Laurinda, ela sempre teve jeito para a costura, com certeza faz vestidos muito bonitos, e o Tiago que continue em volta dos computadores, que vem a ter um futuro promissor.
O pão de trigo foi a tia Inácia que fez no forno e a linguiça foi feita pelo tio Armando, eles têm muito jeito para estas iguarias, como tu bem sabes.
A avó está muito bem no lar, gosta muito de conviver com os companheiros que lá estão.
No Natal o pai vai matar um borrego para assar no forno, como vocês tanto gostam.
Agora me despeço com muitas saudades.
Beijinhos meus e do teu pai para vocês todos, e que continuem de boa saúde.
Os teus tios, tias e primos mandam cumprimentos.
                                                                    
Até à volta.
PEDRO RICARDO B3B-07-02-2011
                   


                                                               

Vila Nova da Barquinha, 2 de Fevereiro de 2011
 Olá Toninho,
 Esperamos que estejam todos bem, escrevemos esta carta não só para te retribuir a que nos enviaste, mas também para te enviar notícias aqui da aldeia.
 A novidade da aldeia é que a filha da tia Margarida, a Rosinha, já teve o bebé, e agora há mais um habitante aqui na freguesia, já cá nós continuamos a trabalhar na lavoura do campo. Entre os animais e as iguarias da aldeia lá se passam os dias, pois a vida já não pode ser levada com tanta rapidez., é a idade.
 Ficámos muito felizes ao saber que a Laurinda, apesar de ter mudado para a cidade, continua a trabalhar na mesma arte que aprendeu aqui na aldeia, mas agora com muito mais qualidade, pois já deixou os tapetes de Arraiolos e os pequenos trabalhos de costura, para fazer vestidos por medida: devem de ser lindos! E o Manuelito fez muito bem em escolher esse caminho, o dos computadores. Não é que a mãe saiba o que ele pode vir a fazer com isso, mas se tu dizes que tem saída, a mãe acredita, filho.
 E quanto à ribeira e às oliveiras, ficas a saber que ainda fazemos muitas merendas à sombra das Azeitoneiras e lavamos os lençóis na ribeira.
 Ficamos à espera que nos digam como têm corrido os trabalhos da Laurinda e a escola do menino, e também mais novidades tuas. Se precisarem de alguma coisa escrevam.
 Juntamente com esta carta enviamos também mais linguiças e pão de trigo, feito ontem pela Belinha, e o pai envia uma garrafinha de vinho ali da taberninha do Sr. Francisco.
 Ficamos à vossa espera para o Natal.
 Também gostámos dos pastéis de Belém que nos enviaram, são muito bons.
Beijos de todos da aldeia, estamos cheios de saudades.

                                                                    Dulce Duarte, B3B

sexta-feira, 4 de março de 2011

BOM CARNAVAL!





Assistentes Operacionais e utilizadores da Biblioteca vestiram-se a preceito para celebrar o Carnaval.



TEATRO


Consulte o folheto informativo disponível na Biblioteca Escolar.

quinta-feira, 3 de março de 2011

MONTRA DE LIVROS (5)


Leitura no feminino para assinalar o centésimo aniversário do Dia Internacional da Mulher, que se celebra a 8 de Março.

quarta-feira, 2 de março de 2011

ARTE NA BIBLIOTECA (6)

video

Os trabalhos foram realizados no âmbito da disciplina de Desenho A, com o 12º ano, Turma L do Curso Humanístico de Artes Visuais.
Os materiais utilizados foram grafites e lápis de cor. Depois de desenharem alguns objectos, em diferentes vistas, de modo a fazerem um estudo aprofundado da forma, os alunos tiveram de integrar esses mesmos objectos numa paisagem. Todos os trabalhos foram realizados em formato A2 (60 x 43 cm).

Texto de Bruno Côrte Fernandes, professor de Artes Visuais

terça-feira, 1 de março de 2011

NOVIDADE NA BE



Software educativo para aprendizagem de Inglês
Este conjunto interactivo foi adquirido no âmbito do projecto novasoportunidades@biblioteca.esjs, com o apoio integral da Fundação Calouste Gulbenkian.